segunda-feira, 20 de março de 2017

Toda Pessoa é uma Flor... Só varia o tipo! Aprenda como lidar com todas.

Nenhum texto alternativo automático disponível.

                                                                           Por Sandra Braconnot

“Você é uma flor!” – muito provavelmente alguém já tenha dito isso para você. E eu creio que na maior parte das vezes, foi um elogio. Realmente, há flores lindas, coloridas, perfumadas e com uma energia muito positiva. Só que não são todas. Existem muitas feias, fedorentas e desengonçadas. Mas todas elas, porém, têm a sua função,  e missão na natureza. Diante disso eu complemento a carinhosa e elogiosa (?) frase: Toda pessoa é uma flor... Só varia o tipo!


Cada pessoa tem suas idiossincrasias. Nenhuma pessoa é igual a outra. (...)
              Continue lendo.



Podem ter algumas ou muitas características em comum, mas sempre haverá diferenças. Como bem poetizou Carlos Drummond de Andrade, “Ninguém é igual a ninguém. Todo o ser humano é um estranho ímpar”.

O mesmo acontece com as flores. Podem ser da mesma espécie, da mesma cor, do mesmo tamanho e nunca serão iguais. Nos pequenos detalhes estão as grandes diferenças. E um experiente “jardineiro” consegue distinguir uma da outra e perceber as suas diferenças.

Flores e pessoas têm muito em comum. Ambas – flores e seres – têm basicamente as mesmas necessidades para viver: água, luz e alimento (eu disse basicamente, ok?). E aí começam as diferenças. Todas – pessoas e flores – têm as suas preferências.  Um bom “jardineiro” sabe dar a cada uma o que elas precisam. Não as trata com igualdade, mas com respeito.


Como tratamos flores e seres.




Cacto
Copo-de-Leite
Imagine se podemos tratar, por exemplo, um Cacto (que tem pouca sede) como tratamos um Copo-de-Leite (que adora água)?  Calor não é problema para muitas, como a Alamanda, que se delicia quando a temperatura passa dos 35º. Ou como a Lantana, que mesmo num calor escaldante produz muito néctar e atrai as borboletas.  Agora, experimente colocar uma Begônia ou Lirio-da-Paz no sol. Vão torrar. E você sabe que existem flores que se “viram nos 30” e aguentam qualquer clima, como as Ixórias e Azaléias?



Em todas as 6 décadas que eu convivo com as flores, nunca presenciei uma flor tentando convencer a outra que as suas preferências são as melhores. Já nós, os seres racionais...


Eu não concordo com aquele velho adágio popular muito repetido até hoje, de que “devemos dar ao outro o que nós gostaríamos de receber”. Pura falácia! Dê ao outro aquilo que ele quer receber.

Flores esquisitas...

Raflésia



Voltando às flores (ou as pessoas) ... Eu disse que tem flores bem esquisitas. E tem! A Raflésia, por exemplo, tem características bem interessantes. É a maior flor que existe – pode pesar 10kg e atingir mais de 1 metro de diâmetro -, nasce nas florestas tropicais e apesar do seu tamanho, é uma parasita, ou seja vive da seiva alheia. As raízes da grandona penetram nas raízes da “vitima” e sugam os nutrientes que necessita para o seu desenvolvimento. E não é que têm muitas Raflésias por aí?
 Do seu lado mesmo pode ter uma, Cuidado, heim? Ah... e tem mais um detalhe: sabe como é o nome popular da “poderosa”? Flor Cadáver, porque fede muito.

Flores altruistas


Já as elegantes e perfumadas Orquídeas, que se “hospedam” no alto de algumas árvores, vivem da chuva e do ar e nada, absolutamente nada, retiram da árvore onde estão. Ao contrário, ela – a orquídea  – com toda a sua exuberância embeleza a árvore que a hospeda. Você também deve conhecer pessoas assim. E do seu lado por ter uma (pessoa) que você não valoriza. Preste atenção, viu?



Bom... há muitas flores nesse jardim. Se você quer conhecer outras, volte amanhã, que eu vou continuar o assunto.
Grata pela visita e até amanhã. Te espero!

---
Ps: Este é o tema de uma palestra inspiracional que ministro para empresas, escolas e igreja abordando o tema diversidade e relacionamentos. É uma palestra interessante, bem lúdica, bonita, mas que provoca reflexões e transformações.


Postar um comentário